sexta-feira, 23 de agosto de 2013

Matéria publicada no Jornal Cruzeiro do Sul

Leia na íntegra a entrevista para o Jornal Cruzeiro do Sul, no Caderno ELA, veículo de informação que circula em Sorocaba, onde acontece a exposição "Tramas", com curadoria de Caru Magano e Juliana Vasconcelos, no MACS, Museu de Arte Contemporânea de Sorocaba.
Reportagem de Helena Gozzano.

"A fotografia é uma ferramenta de expressão para todos"

Você é a única mulher entre o grupo de fotógrafos que expõem no Macs. Esse ainda é um universo mais masculino? Se sim ou se não, porque?

Não creio ser este o motivo de ser a única mulher no grupo. Estamos representando a fotografia brasileira, que segue cada vez mais forte. A fotografia é uma possibilidade de representar sentimentos e pensamentos, nossos entendimentos internos e, para mim, eles não tem sexo. A fotografia é uma ferramenta de expressão para todos.

E quanto ao resultado do trabalho, é feminino?

Penso que os assuntos que abordo são delicados e por este motivo se tornam assim. Muitos trabalhos produzidos por homens também carregam este resultado. Talvez pensar em feminino ou masculino possa reduzir as possibilidades de mergulhar num trabalho.

Como está sendo a experiência de expor em Sorocaba?

Antes mesmo da exposição acontecer já senti a receptividade carinhosa de Sorocaba representada pelo Museu. Estou muito satisfeita por estar com vocês, aproveitando este momento do Macs no Chalé Francês, um espaço lindo e carregado de história. Caru Magano e Juliana Vasconcelos, as curadoras da exposição, tramaram um fluxo de leitura muito interessante entre os trabalhos de todos os fotógrafos. Estou muito feliz por fazer parte. Serei sempre agradecida pelo carinho de todos.

Hoje, "todo mundo" virou (ou acha que virou) fotógrafo... Fica difícil provar o aspecto da fotografia como arte ou como jornalismo?

Um dia todos aprendemos a escrever, mas poucos se tornaram em essência, escritores. A imagem é a grande ferramenta de comunicação dos dias de hoje. Faz parte da nossa evolução, da história humana. Para mim a arte é um assunto maior, está acima da escolha das pessoas. Ela está dentro de você. Se você é um artista, fará boas fotografias mesmo não sendo um fotógrafo dedicado aos estudos. Acredito que se conseguirmos juntar os dois, talvez consigamos transformar nossas fotos em obra de arte.

Você faz um trabalho com autorretratos, é isso? Como é esse trabalho e o por que da opção por se fotografar?

A maioria das minhas fotografias são autorretratos. O autorretrato é, para mim, um exercício de confissão. Através da fotografia consigo desenvolver-me como ser pensante e sensível. São anotações imagéticas dos meus pensamentos, das minhas experimentações, que me são muito íntimas. No momento, não consigo pensar num corpo físico melhor do que o meu para representar-me. Na superfície talvez possa parecer apenas um exercício de Narciso, mas não é meu corpo físico que pretendo estudar, ele é apenas um veículo, que congelado pela luz me possibilita enxergar novos ângulos, que jamais conseguiria através do espelho.

Também realiza um trabalho voltado à gastronomia, não é? Conta sobre ele?

O Empório Fotográfico é o nome do estúdio que fez 11 anos em agosto deste ano. A ideia do nome nasceu da vontade de oferecer ao mercado um estúdio especializado em fotografia de alimentos. Hoje, eu e meu irmão e sócio, Bruno Carvalho, atendemos indústrias alimentícias, correlatas e editoras, produzindo imagens para catálogos, embalagens, mídias sociais, editoriais etc. Nosso estúdio fica no Cambuci, região central de São Paulo.

Você fez um trabalho beneficente com a ACTC Casa do Coração, não é?

Acredito que todos estamos juntos aqui e agora num motivo maior, para nos ajudarmos uns aos outros. O Empório Fotográfico, reflexo deste pensamento, estende seus serviços, sempre que necessário e possível à ACTC, uma associação de auxílio as crianças cardíacas e transplantadas, cujo trabalho assistencial é maravilhoso.

Notícia publicada na edição de 23/08/13 do Jornal Cruzeiro do Sul, na página 002 do caderno Ela - o conteúdo da edição impressa na internet é atualizado diariamente após as 12h.

Nenhum comentário:

Postar um comentário